O Parque Natural do Alvão

 

Com um relevo muito variado, o Parque Natural do Alvão tem duas áreas principais: - Uma zona mais alta (que chega aos 1339 metros de altitude), abrangendo a serra do Alvão e o planalto de Lamas de Olo, e uma zona basal (até aos 250 metros), onde estão localizadas as povoações de Ermelo e de Fervença e os vales por onde corre o rio Olo.

Na zona de montanha, os rigores do inverno são bastante pronunciados. Pelo menos, uma vez por ano, todo o parque se cobre com um enorme manto branco. Na primavera, no verão e no outono, as áreas florestais cobrem-se de cores quentes. 

Criado em 1983, o Parque Natural do Alvão é uma área protegida, relativamente pequena, entre os concelhos de Vila Real e Mondim de Basto. É um refúgio importante para várias espécies animais e outrora, entre as zonas mais elevadas do sistema montanhoso do Alvão e do Marão, era possível avistar com frequência a águia-real, hoje praticamente extinta. Actualmente, ainda se avistam no interior do parque diversas espécies. É o caso do lobo, do gato-bravo, da toupeira-de-água e do falcão-peregrino, entre outras.

Existem vários passeios possíveis, entre os quais recomendamos os seguintes:



Lamas de Olo a Fisgas de Ermelo:

 

Acesso: a partir do IP4, saída norte de Vila Real/Chaves (EN 2), virar à esquerda para Borbela/Lamas de Ôlo/ Barragem do Alvão (EN 313). Para regressar a Vila Real, fazer o percurso inverso ou em Ermelo apanhar a EN 304 com direção a Campeã. Apanhar o IP4 com direção a Vila Real-Bragança ou Amarante-Porto.

Ponto de partida: Barragem Cimeira do Alvão (Concelho de Vila Real).

Ponto de chegada: Ermelo (Concelho de Mondim de Basto).

Extensão: 35 km.

Duração: 3 h.

Dificuldade: fácil.

Apoios: parques de merendas - junto à Barragem do Alvão; Veiga Nova (Bobal) e Ermelo (EN 304, junto à Ponte de Infesta).

Breve descrição: Percurso de montanha, onde se podem observar diferentes tipos de paisagem e modelação de relevo, nomeadamente, planaltos, vales encaixados, morfologias dos granitos, xistos e quartzitos. Cenário marcado pela presença humana com aldeias, socalcos, lameiros, carvalhais, gado bovino maronês e rebanhos de caprinos. Numerosos exemplares de arquitetura rural.

Pontos de interesse:

1. Barragem Cimeira do Alvão - construída na linha de festo da Serra do Alvão, no sítio de uma antiga lagoa natural.

2. Miradouro sobre a Aldeia de Lamas de Ôlo - deslocação a pé (cerca de 5 minutos) - seguir pequena derivação à direita, no início da descida para Lamas de Ôlo, logo depois da Barragem Cimeira. A partir do Miradouro tem-se uma vista do conjunto da Aldeia e campos agrícolas vizinhos, num mosaico ondulado de verdes, ativamente agricultados e rodeados pelo baldio onde se praticam uma agricultura e pecuária extensivas.

3. Aldeia de Lamas de Ôlo - povoação com algumas casas vetustas (i.e., antigas), cobertas de colmo, e com o seu moinho e tosco aqueduto, situados sobranceiros à Aldeia. Arquitetura tradicional e lameiros de montanha.

4. Rio Olo, entre Lamas de Ôlo e Anta - o Rio corre encaixado, observando-se, da estrada, a zona de agricultura intensiva da Aldeia do Barreiro, num declive quebrado por terraços. Presença de frondosos carvalhais.

5. Quedas de água das Fisgas de Ermelo - da plataforma natural, que se alcança através do desvio da estrada à altura da antiga Casa Florestal do Fojo, podem-se observar duas das maiores quedas de água do Rio Olo, numa moldura de camada rochosas, arqueadas e fraturadas pelo desfiladeiro. Vista impressionante e invulgar.

6. Aldeia de Ermelo - arquitetura tradicional. Aglomerado de casas de xisto, coberta com lousa. Destaque para a Igreja de granito, a Capela barroca, o pelourinho, a Via Sacra e alguns moinhos hidráulicos. A tradição da tecelagem de linho mantém-se viva, surgindo ainda novas formas de artesanato com a construção de miniaturas da arquitetura tradicional.

Percurso Agarez - Arnal - Agarez

 

Acesso: a partir da IP4 -  saída Vila Real / hospital, seguir direção hospital / Lordelo / Agarez.

Ponto de partida e chegada: estrada municipal nº 1214 entre Agarez / Arnal. (41º19'21.25"N, 07º47'32.19"W)

Partida: caminho pedestre à saída de Agarez no sentido de Galegos da Serra.

Chegada: Arnal.

Extensão: 6,5 km. 

Duração: 3 horas (aproximadamente). 

Dificuldade: alta. 

Cota mínima e máxima: 700 m e 1.000 m.

Apoios: parque de merendas, antes do desvio para Galegos da Serra, na proximidade da queda de água do moinho de Galegos. Café e telefone (Agarez e Galegos da Serra). Com marcação prévia, possibilidade de estadia no Centro de Acolhimento do Parque Natural do Alvão, em Arnal.  

Breve descrição: Para quem gosta de longas caminhadas em contacto com a Natureza, este percurso oferece paisagens de rara beleza,  permitindo o contacto com o mundo rural e um vasto património natural e cultural. Saindo da aldeia de Agarez, o percurso desenvolve-se pela área serrana de Galegos da Serra, junto à ribeira de Arnal, de vale muito encaixado e profundo. Com excelente panorâmica sobre toda a zona envolvente e mesmo sobre a cidade de Vila Real, nele se encontram duas aldeias ladeadas de campos agrícolas, de rebanhos de cabras e de vacas da raça maronesa em pastoreio. Do alto da "Escola Ecológica" contemplam-se os cabeços graníticos do Arnal.

Pontos de interesse: 

  • Paisagem de grandes contrastes entre verdes campos e declives rochosos.

  • Arquitetura tradicional de Galegos da Serra e Arnal.

  • Granítos de Arnal.

  • Amplas vistas sobre a cidade de Vila Real e regiões circundantes.

Percurso Barragens - Barreiro - Lamas de Ôlo

 

Acesso a partir: do IP4 - saída Vila Real Norte; EN2 sentido Chaves, virar para EM 312-1 em direção a Lamas de Ôlo, com passagem por Borbela, Relvas e Muas.

Ponto de partida e chegada: a norte da barragem Cimeira no ponto de encontro do estradão com a estrada municipal EM 312-1

(41º21'26.00"N, 07º47'43.32"W)

Extensão: 13,5 km.

Duração: 4h:30min.

Dificuldade: média.

Apoios: parque de merendas e estacionamento de viaturas (próx. barragem Cimeira). Cafés, mercearia e telefone no Barreiro, Varzigueto e Lamas de Ôlo. Possibilidade de serviço de refeições nestas aldeias, bem como em Ermelo e Anta (aconselha-se marcação prévia). Folheto nesta página.

Breve descrição:

Para quem gosta de longas caminhadas em contacto com a Natureza, este percurso oferece paisagens de rara beleza, permitindo o contacto com o mundo rural e um vasto património natural e cultural. Observe as barragens do Alvão, as áreas de matos, as aldeias rurais (Barreiro e Lamas de Ôlo), os campos de cultivo, os lameiros, bem como os carvalhais e pinhais.

Inciando-se junto às barragens, este percurso atravessa uma vasta zona planáltica onde se encontram, predominantemente, áreas baldias cobertas de urzais (Erica spp.) e carqueijais (Pterospartum tridentatum) onde rebanhos de cabras bravias encontram o seu alimento. Nas zonas mais favoráveis aparecem pequenos bosquetes de bétulas (Betula spp.), bem como matas de pinheiro-silvestre ou de casquinha (Pinus sylvestris).

Na zona mais baixa do percurso é possível avistar o monte Farinha com o santuário da Sra. da Graça e os cabeços da ribeira da Teixeira. Pequenos regatos cortam os caminhos precipitando as águas em campos agrícolas junto às aldeias.

Rumando em direção ao Barreiro é possível observar grandes massas graníticas, modeladas por ventos e intempérides, que se estendem até à aldeia.Da aldeia do Barreiro pode-se regressar a este ponto pelo caminho Barreiro-Lamas de Ôlo (aldeia característica da arquitetura granítica envolta em lameiros) ou derivar para poente rumo a Varzigueto e queda de água das Fisgas de Ermelo.

Nota - O texto e as imagens desta secção são originárias e pertença do Instituto Nacional da Conservação da Natureza e da Floresta. Para melhor esclarecimento deve ser consultado o site do ICNF.

Onde estamos

R. Dr.Manuel Cardona

Vila Real

Mande-nos um Email 

​camping.vilareal@gmail.com

Fale connosco

00 351 259092029